terça-feira, 8 de julho de 2014

Colar "Lily" - ônix branco reconstituído - PEDRA SINTÉTICA, ARTIFICIAL, RECONSTITUÍDA?


Pedra Sintética, Artificial, Reconstituída?

Uma gema natural, como o próprio nome diz, é aquela encontrada na natureza e nesse grupo estão a maioria das gemas inorgânicas como diamantes, rubis, esmeraldas, quartzos e uma infinidade de outras que podem ser extraídas da natureza. São cortadas, lapidadas e polidas sem sofrer nenhum outro processo que modifique suas propriedades. São as mais valiosas e importantes. Também há gemas naturais orgânicas, como âmbar, pérolas e corais entre outras, como já foi postado anteriormente neste blog.

Já as gemas sintéticas são produzidas em laboratório, cada uma com um processo ligeiramente diferente, mas possuem uma gema natural correspondente. Há esmeraldas sintéticas, safiras sintéticas, espinélio sintético, opala sintetica, entre outros, todos com as mesmas características físicas e químicas de seus correspondentes naturais, mas com apenas uma fração de seu valor. Geralmente são utilizadas para uso industrial, mas também para a confecção de jóias e bijuterias. São difíceis de diferenciar das gemas naturais, sendo necessário a utilização de equipamentos apropriados, apesar de geralmente apresentarem um brilho menor que as naturais.

Gemas artificiais são igualmente produzidas em laboratório, mas estas não tem um correspondente natural, ao menos não um correspondente conhecido. Um bom exemplo é a zircônia cúbica. Cada cristal quando sofre o processo de cristalização o faz de maneira diferente, ou seja, a matriz cristalina pode ser de vários tipos, com arranjos diferentes dos átomos,  a zircônia se cristaliza na natureza no formato monocíclico, mas ela também é criada em laboratório, só que seus átomos tem um arranjo cúbico, ou seja é diferente do natural, sendo portanto chamada propriamente de zircônia cúbica. Para quem não sabe, a zircônia, tanto a natural quanto a artificial, são usadas como gemas, sendo que a zircônia cúbica é a imitação mais perfeita do diamante já feita até hoje. Além do diamante, ela também pode substituir outras gemas, como a ametista, dependendo apenas de sua cor.

As gemas reconstituídas também são produzidas em laboratório, mas difere das anteriores por ter gemas naturais em sua composição. Veja o exemplo já bem conhecido e citado das turquesas. A maioria das turquesa encontradas são muito porosas, sendo difícil sua lapidação e até polimento. As de menor qualidade são então trituradas e acrescidas de uma cola o que faz com que elas adquiram uma consistência maior para que possam ser trabalhadas. Há outras gemas que podem ser reconstituídas como por exemplo âmbar reconstituído, lápislázuli reconstituído, ametista reconstituída, ônix reconstituído como do colar branco abaixo da loja deste blog.

Também há as gemas compostas, onde partes de gemas, não importa se natural, sintética ou artificial, são unidas com cimento ou vidro. São mais dificeis de encontrar.

Por que tudo isso? Transparência. Como viram, todas as modalidades acima podem ser usadas como parte de adornos e a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) exige que essas informações sejam fornecidas, mesmo que o valor da gema seja o mesmo.
 


 
Colar de pedra de ônix branco reconstituído, entremeios de metal dourado, fecho folheado a ouro 18K. Belíssima peça para ser usada em qualquer ocasião. Venda direta pelo e-mail nane.bra11@hotmail.com, ou pelo site elo7, http://www.elo7.com.br/colar-lily/dp/3EF665

Nenhum comentário:

Postar um comentário